Processo secreto das melhores madeiras para envelhecer cachaça
Olá amigos e amantes da cachaça, tudo bem?
 
Vamos aprender mais um pouco sobre essa bebida que tanto amamos? Como que a madeira trabalha no processo de envelhecimento de uma cachaça? Aprenda os benefícios das principais madeiras do Brasil para a mais queridinha em todas as adegas e bares.
 
Existem processos secretos que cada tipo pode influenciar nas características de cor, aroma e sabor, que mexem com os sentidos e oferecem prazeres diversificados. 
 
Descubra como uma cachaça pode ganhar diversas facetas e fascinar os degustadores mais experientes.
 

Carvalho


O segredo do barril de Carvalho para envelhecer a Cachaça, está na sua capacidade de dar a bebida uma diversidade de sabores intensos que envolvem o paladar em uma onda exótica de sabores.
 
No Carvalho americano, o líquido ganha características e aromas de baunilha e coco. O Carvalho europeu, tem o dom de atenuar o gosto de amêndoas e madeiras tostadas.
 

Amburana


A madeira de Amburana tem o poder de dar intensidade e um leque de sabores mais adocicados e que fazem referência a baunilha que traz ao paladar um tom mais adocicado. Isso se deve também a sua capacidade de criar um buquê de tons e aromas que valoriza ainda mais o nível da cachaça envelhecida.
 

Araucária


Uma madeira que tem como principal característica de envelhecimento da cachaça, manter a cor e o sabor bem próximo do original, sem muitas alterações em seu aroma também. Para que o produtor possa criar um gosto mais diferenciado, necessita fazer um blend de madeiras para descobrir algo novo e surpreendente.
 

Bálsamo


A madeira do Bálsamo fornece a cachaça no processo de envelhecimento uma identidade com muita intensidade nas notas de seus sabores. Geralmente os destilados que passam pelo processo de maturação do gosto da bebida ganham uma característica muito intensa e que dificilmente não desperta uma sensação diferente no degustador. 
 

Vinhático


A madeira vinhático é encontrada nos estados de Pernambuco, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, conferindo uma cor amarelo ouro e sabores e odores envolventes e que tem uma identidade bem definida quando toca o paladar daquele que prova o destilado que ganha este reforço de sabor.
 

Araribá


O envelhecimento da cachaça em contato com a madeira do Araribá, ganha aromas bem pontuais em termos de sutileza na construção da identidade da bebida, conferido um buquê floral bem agradável que penetra as narinas e cria uma sensação incrível. As composições de sabor são harmoniosamente em uma cor amarelo mais claro.
 

Jequitibá


O Jequitibá é uma madeira encontrada em grande parte do Brasil. O Jequitibá Rosa confere uma coloração mais dourada e sabores bem agradáveis e dosados para a cachaça. O Jequitibá branco proporciona uma coloração mais clara para a bebida, sendo bastante sutil na função de proporcionar um sabor mais complementar do que soberano. Fazendo uma mescla perfeita.
 

Peroba-do-Campo 


A Peroba-do-Campo no envelhecimento da cachaça ela se aproxima de uma forma mais consistente do gosto da bebida mais pura, criando um gosto muito mais amargo. A cor que essa madeira confere ao destilado tem uma proximidade muito grande com um tipo de amarelo – ouro.
 
Além de todas essas madeiras citadas, podemos fazer uma menção honrosa para a Castanheira do Pará, Cedro e Louro-Freijó, que tem tradição no envelhecimento da cachaça por diferentes regiões do Brasil. As riquezas de possibilidades na criação de cachaças artesanais de qualidade são inúmeras.
 
Comprar cachaça da forma correta precisa de conhecimento. Não basta ter apenas uma noção para ter uma boa experiência de degustação épica. Você precisa de mais conhecimento.
 
Aprenda conosco agora mesmo com passos básicos para provar uma cachaça como um profissional.
 
Até a próxima meu amigo!